A Sociedade Brasileira de Economia Política (SEP) foi criada em junho de 1996, durante a realização do I Encontro Nacional de Economia Clássica e Política, na Universidade Federal Fluminense, em Niterói (RJ). Ao final desse Encontro foi realizada a assembléia de fundação da SEP, que aprovou seus estatutos e elegeu sua primeira diretoria. A SEP é uma sociedade civil sem fins lucrativos, que tem por objetivo primordial garantir um espaço ampliado de discussão a todas as correntes teóricas e áreas de trabalho que entendam a economia como uma ciência inescapavelmente social e que, por isso, tenham na crítica ao mainstream seu elemento comum.

Para atingir esse objetivo, a SEP promove um Encontro anual de seus sócios e demais interessados para o debate de trabalhos afinados com o denominador comum da crítica à ciência econômica convencional. De 1998 a 2003, a SEP promoveu, paralelamente ao Encontro Nacional de Economia da ANPEC, uma Jornada de Economia Política, em que eram discutidos trabalhos referentes a um tema previamente determinado. Visando ampliar as relações internacionais, a SEP começou, a partir de 1999, a participar como observadora da ICARE (Federação Internacional de Associações para a Reforma da Economia). Essa instituição reúne mais de 30 entidades de economia de vários países e a SEP é uma das primeiras da América Latina que a ela se soma.

A SEP edita ainda uma revista com periodicidade semestral, que traz artigos previamente submetidos à apreciação de referees, além de resenhas e outros documentos de interesse para a sociedade.